Outro dia me perguntaram quantos dias mais ou menos, nós ficávamos em cada lugar, porque toda vez que voltávamos de viagem tínhamos um monte de histórias para contar e centenas de fotos.

Bem, para começar  meu discurso, direi que somos bastante motivados no sentido que somos muitíssimo curiosos do que iremos encontrar e desenvolvemos uma técnica que em todos os dias de viagem devemos fazer a obrigação de visitar os pontos turísticos, desbravar o máximo que as pernas aguentarem andar e depois, porque ninguém é de ferro aproveitar para se divertir.

Pois então, a minha resposta é, aproximadamente quatro dias. Em qualquer lugar do mundo, quatro dias é uma média bastante boa para um viajante motivado. Você não se torna um local mas é suficiente para  sentir o local entrar no seu ser.

Claro que 1: dependendo do lugar onde você mora, vai precisar de mais ou menos tempo para chegar em outros lugares do mundo.

Claro que 2: tem aquele outro discurso de viajar para descansar, mas aí é uma outra história, muito boa também, mas vamos ao que interessa, que agora eu vou mostrar tudo o que eu vi por lá.

Vou traçar um perfil bastante breve. Dublim é a capital da Irlanda e está situada na costa leste do país.

O rio Liffey atravessa a cidade e é belíssimo com as pontes  iluminadas com a cor verde.

RIo Liffey - Dubin

Suas origens devem muito aos Vikings por isso da música celta que eles tocam por toda parte.

Já foi parte do Império Britânico mas hoje em dia é uma República  e está entre as 30 cidades mais globalizadas no mundo. Até a Google decidiu ter uma sede ali.

Chove mais de 180 dias por ano, ou seja, se você  decidir ir para lá, vai precisar de um casaco impermeável dos bons! E se não tiver um, deixe para comprar lá porque existem boas oportunidades a preços moderados.

E merece sempre ser lembrado também, como o berço da cerveja Guinness.

Uma dica para começar o passeio em Dublim, é fazer um sightseeing. Esses ônibus de hop-on hop-off, além de serem muito úteis em cidades relativamente grandes, sempre te oferecem alguma outra atração. Incluímos no nosso pacote, a vista para na  Guinness Storehouse. Justamente por oferecer algum desconto quando comprados juntos, e pagamos algo em torno de 22 Euros.

IMG_1294

Após um giro de sightseeing, é hora de começar a descobrir as atrações. Nós começamos pela cervejaria  Guinness e acho que foi uma boa. Não é só porque eu amo muito cerveja, mas como essa cidade gira em torno da Guinness , eu considero que foi uma boa introdução. Depois vou mostrar os outros pontos que visitamos e estão super recomendados.

Guinness Storehouse

A vida inteira eu apreciei essa cerveja, mas confesso que visitando a fábrica da Guinness, minha admiração só fez aumentar.

Guinness Storehouse

 

É uma viagem através da história da cervejaria e seu fundador Arthur Guinness. É bem grande e tem muitas coisas para serem vistas. Desde o processo da fabricação da cerveja, às campanhas publicitárias, degustação da cerveja com direito a uma mini aula de como servir um belo pint de Guinness.

Guinness Storehouse

A água é muito importante no processo de produção, essa é a fonte que passa por dentro da fábrica. Essa água provem das montanhas situadas acima da cidade de Dublim e no seu caminho de descida caregam com si calcio e sulfato de magnésio. Arthur Guinness fundou a cervejaria em St. James Gate, justamente por proporcionar um excelente abastecimento de água.

Guinness Storehouse

Guinness Storehouse

Guinness Storehouse

O andar das campanhas publicitárias

Guinness Storehouse

 

 ” A woman needs a man like a fish needs a bicycle”

Graffiti

O que eu gostei, é que o local se parece com um shopping center, só que de cerveja. Onde você vai subindo as escadas rolantes, e o tema , no caso a história da Guinness surpreende de fato o visitante.

Guinnes Storehouse Dublin

Guinness Storehouse

Antes do prêmio, a obrigação. E uma pequena lição como para aprender a tirar o pint de Guinness, tem até certificado.

Guinness Storehouse Dublin

No final é possível apreciar a vista do bar do último andar com um andar 360 graus com uma vista privilegiada da cidade.

Storehouse Guinness Dublim

Essa foi uma das Guinness que conheci lá. Ela tem um sabor mais encorpado que a tradicional.  Não precisa nem dizer que era deliciosa né!

Guinness Storehouse

Essa visita é bastante longa, nós ficamos aproximadamente uma três horas ali e eu aconselho ir pela manhã, assim quando você chegar no bar já vai estar mais ou menos na hora de tomar uma cerveja ou melhor, a primeira cerveja do dia. Essa é uma visita realmente imperdível!

Para quem ainda não se deu conta, Dublim é uma terra de gente muito feliz, isso porque, digo, na minha opinião, eles tem a cultura do pub. Ou seja, tudo na vida deles gira em torno do pub. Não é apenas um lugar onde as pessoas vão para beber, mas é também como se fosse um clube, onde famílias vão almoçar por exemplo. Claro que tem sempre aqueles mais ” fervidos” como é o caso do The Temples Bar, que é o o-concur dos pubs da região, mas o quarteirão todo leva o nome “The Temples bare é um lugar cheio de bares, pubs, restaurantes , galerias de arte, lojas de instrumentos musicais e reduto de boêmios. Ali a diversão é garantida!

The Temples Bar

The Temples Bar

The Temples Bar - Dublin

Detalhe da decoração de Natal do The Temples Bar.

Temple Bar -Dublin

Essa é uma escultura em bronze do escritor James Joyce que escreveu  “Dubliners” , a obra ficou conhecida por abordar  as características e aspectos da vida dos abitantes da cidade . Ele foi expatriado, mas a sua origem dublinense foi relevante em suas obras.

Jaymes Joyce no Temples Bar - Dublin

É fácil conhecer pessoas por lá. Achei interessante, que mesmo as pessoas idosas não perdem a oportunidade de puxar conversa. Pelo menos, foi minha impressão.

Dubliners Dublin

Olha o detalhe das ruas do Temples Bar. As tampinhas de garrafa já se integraram ao pavimento.

calçada do Temples Bar em Dublin

Trinity College 

IMG_7333-001

Além de ter um campus lindo com um gramado verdinho, desses que dá até vontade de estudar lá, já ensinou muitas mentes brilhantes desse mundão, como, Oscar Wilde e Samuel Beckett, prêmio Nobel de literatura. É dele a frase:

“Todos nós nascemos loucos. Alguns permanecem.”

The trinity college - Dublim
Trinity College - Dublin

No Trinity College está a maior biblioteca da Irlanda.Conhecida como The Old Library, é detentora de documentos históricos da República da Irlanda e também de direitos legais de cópia para muitas publicações do Reino Unido.

The Old Library - Trinaty College - Dublim

A sensação que dá quando entramos ali, é mais ou menos como se fossemos os antigos pensadores confabulando sobre o destino da humanidade.

IMG_7312

The Old Library - Dublim

Em uma outra parte do mesmo prédio, está a exposição fixa, The book of Kells. Que se trata desse livro conhecido como o Grande Evangeliário de São Columba, que contem uma riqueza de pintura conhecida como arte insular que era o estilo de arte vigente após o Império Romano nas Ilhas Britânicas. Ele foi produzido por monges por volta do ano 800 a.C..

The trinity college - Dublim

Não é possível fotografá-lo porque sua pintura é muito sensível ao flash, eu busquei algumas fotos na internet apenas para ilustrar esse maravilha. É uma arte muito rara e considerado uma importante obra medieval.

Acquisizione a schermo intero 23042016 182700

Acquisizione a schermo intero 23042016 182914

 

The Grafton Street que é uma importante rua de comercio. Dizem que o metro quadrado é o mais caro do mundo. Ela liga o Saint Stephen’s Green, que é o maior parque e também zoológico na zona sul, até a zona norte da cidade onde fica o Trinity College. É um daqueles pontos da cidade, onde você encontra de tudo e tem muitos artistas de rua, que fazem de tudo para ganhar umas moedas até outras manifestações como apresentações de coral de igreja e essas coisas que todo mundo para prá olhar.

The Grafton Street

The Grafton Street - Dublim

The Grafton Street- Dublim

St. Patrick’s Catedral

É a maior catedral da Irlanda e carrega o nome do patrono St. Patrick que para nós seria , São Patrício. Esse santo muito estimado pelos irlandeses tem uma história muito interessante , mas os relatos sobre ele, contam que ele usava o trevo de quatro folhas  para explicar a Santíssima Trindade aos pagãos celtas. E vem daí também que a cor verde é vista em todo lugar. Outro motivo seria a cor verde do uniforme dos soldados rebeldes.

Essa igreja foi construída  entre 1191 e 1270  e serviu de cenário para o batismo dos celtas por St. Patrick. Mas a história conta que houveram muitas reconstruções depois desse episodio. De qualquer forma vale a visita.

St. Patrick Church Dublin

A estátua de Molly Malone

Esse é um dos importantes ícones para os Dublinenses que acreditam ter sido uma vendedora de peixe que acabou morrendo de febre. A história passou a ser conhecida por causa de uma canção famosa por lá, onde o cantor revela a admiração pela imagem forte e trabalhadora da mulher que mesmo depois de morta permaneceu bela. Alguns acreditam que ela realmente existiu.

Molly Malone statue Dublin

Dublin Castle

Essa enorme construção, que data do sec. XVIII, era a antiga sede do governo britânico na Irlanda. Hoje em dia continua sendo parte do complexo governamental. Enorme e cheio de salas suntuosas, recepcionou muitos bales de gala.

The Dublin Castle

The Dublin Castle

The Dublin Castle

The Old Jameson Distillery

IMG_7415

Outra grande atração de Dublim, é a visita a destilaria  do wisky Jameson. Para os admiradores de destilados esse é uma passeio bastante enriquecedor. A parte o prédio onde está a destilaria ter seu charme, na sala de ingresso tem um delicioso restaurante.

A tour pelo processo de fabricação inclui uma degustação entre whiskies de diferentes origens, escocês, americano e o Jameson irlandês, que facilita muito a diferenciação do processo produtivo.

The Jameson Distilary- Dublim

The Jameson Distilary- Dublim

O bilhete de entrada inclui uma degustação e uma dose de whisky no final da tour. Para os não muito fluentes no inglês, a visita pode se tornar um pouco entediante uma vez que o estabelecimento não oferece audio-guia.

Mas mesmo que você não fale inglês, depois de alguns shots de whisky, aposto comovocê irá compreender tudo direitinho.

The Jameson Distilary- Dublim

The Jameson Distilary- Dublim

The Jameson Distilary- Dublim

Outra deliciosa dica que aprendi por lá, foi misturar Whisky Jameson com Ginger Ale, que é uma bebida a base de gengibre. Muito refrescante!

Jameson e Ginger Ale

Nosso almoço no restaurante da destilaria estava realmente delicioso. Super recomendado!

3rd Still Restaurant

(Tradicional turkey e Han Served with duck fat roast potatoes abd rostes root vegetables ; tomatoes soup with red pepper)

Estava realmente delicioso. Super recomendado!

The Jameson Distilary- Dublim

Para esquentar e dar um pouquinho mais de energia, nada como o típico Irish Coffee. Que leva em sua receita Whisky, café, creme de leite e açúcar mascavo.

Irish Coffee - Dublin

IMG_1380 (2)

Dublin Docklands

É a zona portuária de Dublim. Chegamos a esse ponto turístico, porque nossa viagem sendo em dezembro, nós estávamos também, em busca de um mercadinho de natal.

Para quem quiser saber mais sobre isso, leia meu outro post ” Mercadinhos de Natal na Europa” o link está abaixo.  https://turistacarimbada.com/2016/04/15/mercadinhos-de-natal-na-europa/

Dublin Docklands

Dublin Docklands

Dublin Docklands

Escultura do Oscar Wilde  no Merrion Square. Para quem não sabe, Oscar Wilde foi um poeta e escritor de peças. Em 1997, o artista Danny Osborn realizou essa escultura patrocinada pela Guinness Ireland Group.

Escultura do Oscar Wilde Dublim

Escultura do Oscar Wilde

Oscar Wilde Statue - Dublin

Além de muitas outras coisas interessantes pela cidade, outra coisa que eu aprendi por lá, é que eles apreciam comer ostras acompanhada de Guinness. Achei delicioso! E é possível encontrar em muitos bares. Mas o lugar que eu achei mais criativo de todos, apesar de ser um mini bar, oferecia uma variedade de ostras e eles nos ganharam pelo excelente atendimento e o ar aconchegante de uma cozinha intimista. O local se chama Klaw e fica no bairro do Temples bar.

Klaw- Dublim

Outro lugar muito gostoso onde comemos ostras com Guinness foi o pub Oliver St John Gogarty.

Oliver St John Gogarty Dublin

 

Sobre viver na Irlanda, encontramos muitos brasileiros que trabalham pelos pubs. E o que eles contaram, é que diferentemente de outros países europeus, lá é possível conseguir trabalho mesmo sendo estudante, não cidadão Irlandês. E sempre a impressão é a mesma, o difícil para nós brasileiros é se adequar ao clima que é muito úmido e chove sempre.

Mais algumas fotos de Dublim:

Essa é o Aviva Stadium, o estádio de futebol de Dublim.

Dublim Estadio

Esse é o Spire, ou, o marco zero de Dublim. Está localizado na O’ Connel Street. Ele mede 121.2 metros.

Marco zero de Dublim

Esse é o Charles S. Parnell Monument . Ele foi um grande líder político, fundador do parlamento irlandês.

Charles S. Parnell Monument Dublim

Caminhões da Guinness sempre circulando pela cidade.
IMG_1413-001

Cartaz da peça de uma das obras de James Joyce.

cartaz da peça de James Joyce Dublin

Museu de História Natural

Museo de história Natural de Dublin

Bem , esses foram os meus quatro dias de diversão, poderiam ser mais, sim, claro que sim! A próxima vez pretendo visitar os lugares da redondeza. Tem muitas paisagens belas por lá. Mas prá começar, acho que foram suficientes. Espero que tenham gostado e se animem para um giro pelas terras Irish!

Guinness Storehouse

 

Saúde!

Até mais!